ASSOBRAFIR Ciência
https://assobrafirciencia.org/article/doi/10.47066/2177-9333.AC.2020.0027
ASSOBRAFIR Ciência
Artigo Científico Original

Perfil dos pacientes submetidos à fisioterapia em uma Unidade de Terapia Intensiva do Extremo Sul da Bahia, Brasil

Sanielle Freire Reis; Henika Priscila Lima Silva; Marília Caixeta de Araújo; Ariane Dórea Santos

Downloads: 1
Views: 60

Resumo

Introdução: Caracterizada por serviços de alta complexidade, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), recebe pacientes com diferentes níveis de gravidade que necessitem de atendimento continuo, imediato e complexo. A coleta de dados sociodemográficos e clínicos acerca desses pacientes possibilita a analise populacional, que é fundamental para planejamento dos serviços de saúde, em todos os níveis de atenção. Objetivo: Traçar o perfil dos pacientes atendidos na Unidade de Terapia Intensiva adulto do Hospital Regional de Eunápolis, Bahia. Método: Foi realizado um estudo transversal, documental, retrospectivo, de caráter exploratório e abordagem descritiva, através da análise de prontuários de pacientes admitidos e atendidos pela fisioterapia na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional de Eunápolis – BA, no período de 01 de março de 2019 à 31 de março de 2020. Resultados: Foram analisados 321 prontuários, onde o perfil predominante foi de indivíduos do sexo masculino (54,2%), com idade média de 58,64 anos e tempo de internação inferior a uma semana. As alterações cardiovasculares (39,9%) e do sistema respiratório (19,3%) foram os principais motivos de internação. As comorbidades associadas estavam ausentes em 57,9% dos pacientes. Em relação ao desfecho da internação 55,45% tiveram alta hospitalar, 36,45% óbito e 8,10% transferência; 52% dos pacientes necessitaram de ventilação mecânica no decorrer da internação. Conclusão: Este estudo reconheceu o perfil do público atendido em uma UTI de homens com meia idade, acometidos por eventos cardiovasculares, servindo de subsídio para a adoção de práticas em saúde de prevenção, promoção e reabilitação específicas ao público identificado.

Palavras-chave

Perfil de Saúde; Unidade de Terapia Intensiva; Fisioterapia.

Referências

1. Medeiros R. Insuficiência de leitos de UTI: crise do capital e mercantilização da saúde. Argumentum. 2018 Jun 28;10(1):229-40. http://dx.doi.org/10.18315/argumentum. v10i1.18647.

2. Backes MT, Erdmann AL, Büscher A. The living, dynamic and complex environment care in intensive care unit. Rev Lat Am Enfermagem. 2015 Jul 3;23(3):411-8. http://dx.doi. org/10.1590/0104-1169.0568.2570. PMid:26155009.

3. Nunes Alves A. A importância da atuação do fisioterapeuta no ambiente hospitalar. Ensaios e Cienc: Cienc Biol Agrar Saude 2014;16(6):173-84.

4. França CDM, Albuquerque PR, Santos ACBC. Perfil epidemiológico da unidade de terapia intensiva de um hospital universitário. InterScientia. [Internet]. 2013 [citado em 2020 Out 29];1(2):72-82. Disponível em: https:// periodicos.unipe.br/index.php/interscientia/article/view/37

5. Brito JRF. Perfil epidemiológico dos pacientes internos na unidade de terapia intensiva do hospital universitário Onofre Lopes [monografia]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2017.

6. Levorato CD, Mello LM, Silva AS, Nunes AA. Fatores associados à procura por serviços de saúde numa perspectiva relacional de gênero. Cien Saude Colet. 2014;19(4):1263-74. http:// dx.doi.org/10.1590/1413-81232014194.01242013.

7. Guia CM, Biondi RS, Sotero S, Lima AA, Almeida KJQ, Amorim FF. Perfil epidemiológico e preditores de mortalidade de uma Unidade de Terapia Intensiva geral de hospital público do Distrito Federal. Com Ciênc Saúde. 2015;26(1-2):9-19. https://doi.org/10.51723/ccs.v26i01/02.156.

8. Pauletti M, Otaviano MLPO, Moraes AST, Schneider DS. Perfil epidemiológico dos pacientes internados em um Centro de Terapia Intensiva. Aletheia. [Internet]. 2017 [citado em 2020 Out 29];50(1-2):38-46. Disponível em: http://pepsic. bv salud.org /scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413- 03942017000100004&lng=pt

9. Carvalho N, Silva M, Paula P, Pires J, Yamaguchi M, Costa C. Principais causas de internamento na unidade de terapia intensiva em um hospital de Maringá – PR. In: Anais Eletrônicos da VI Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Cientifica [Internet]. Maringá: Unicesumar; 2013 [citado em 2020 Out 29]. Disponível em: http://www.cesumar.br/ prppge/pesquisa/epcc2013/oit_mostra/Naiara_Zanquetta_ Carvalho.pdf

10. Bhering CFC. Fatores associados à readmissão em uma Terapia Intensiva [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Estado Rio de Janeiro; 2016.

11. Capilheira M, Santos IS. Doenças crônicas não transmissíveis: desempenho no cuidado médico em atenção primária à saúde no sul do Brasil. Cad Saude Publica. 2011;27(6):1143- 53. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2011000600011.

12. Bueno H, Biatto J. Epidemiologia e validação de escore prognóstico em UTI mista do Norte do Paraná. UNINGUÁ Rev. [Internet]. 2015 [citado em 2020 Out 29];22(3):23- 29. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/ uningareviews/article/view/16 32

13. Sousa MNA, Cavalcante AM, Sobreira REF, Bezerra ALD, Assis EV, Feitosa ANA. Epidemiologia das internações em uma unidade de terapia intensiva. Rev Eletrônica FAINOR, 2014;7(2):178-86.

14. Lisboa DJ, Medeiros EF, Alegretti LG, Badalotto D, Maraschin R. Perfil de pacientes em ventilação mecânica invasiva em uma unidade de terapia invasiva. J Biotechnol Biodivers. 2012;3(1):18-24.


Submetido em:
29/10/2020

Aceito em:
09/08/2021

612cc144a953956dda5196a3 assobrafir Articles
Links & Downloads

ASSOBRAFIR Ciência

Share this page
Page Sections