ASSOBRAFIR Ciência
https://assobrafirciencia.org/article/doi/10.47066/2177-9333.AC.2020.0023
ASSOBRAFIR Ciência
Artigo Científico Original

Correlação entre atividades de vida diária e capacidade funcional de membros superiores e inferiores em pacientes com DPOC

Vitória Cavalheiro Puzzi, Thais Rebecca Paes, Letícia Fernandes Belo, Andrea Akemi Morita, Felipe Vilaça Cavallari Machado, Fabio de Oliveira Pitta, Nidia Aparecida Hernandes

Downloads: 2
Views: 77

Resumo

Introdução: Alterações desencadeadas pela Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) podem causar sensação de fadiga de membros superiores e inferiores. Entretanto, a maioria dos testes de capacidade funcional envolvem somente os membros inferiores (MMII). Sendo assim, é importante saber se o desempenho na realização das AVDs é similar durante a avaliação de capacidade funcional de MMSS e de MMII. Objetivo: Verificar a correlação entre o desempenho nas AVDs e a capacidade funcional de MMSS e de MMII em pacientes com DPOC. Métodos: Pacientes com DPOC foram avaliados quanto: função pulmonar (espirometria), AVDs (Londrina ADL Protocol-LAP), capacidade funcional de MMII (teste da caminhada de 6 minutos -TC6min) e capacidade funcional de MMSS (teste das argolas de 6 minutos -TA6min) Resultados: Foram incluídos 39 pacientes (20 homens; 64[61-72] anos; IMC: 27,7[23-32] Kg/m2 ; VEF1: 50[38-57] %pred). O LAP (segundos) não se correlacionou com o TC6min (valores absolutos e em porcentagem da distância percorrida predita). Porém, se correlacionou moderadamente com o número de argolas no TA6min (r=-0,46 P=0,002). A porcentagem do tempo predito do LAP apresentou correlação moderada com a porcentagem do predito do TC6min, com a distância percorrida no TC6min e com o número de argolas no TA6min (r=0,61 P<0,0001; r=0,43 P=0,005; r=0,44 P=0,004) respectivamente. Conclusão: O desempenho nas AVDs, correlacionou-se moderadamente com a capacidade funcional de MMSS e MMII. Acredita-se que isto se deva ao fato de o protocolo envolver atividades que utilizam as atividades do corpo todo, logo, importantes no cotidiano de pacientes com DPOC

Palavras-chave

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica; Atividades Cotidianas; Exercício

Referências

1. Associação Latino-americana de Tórax. Guia de Bolso para o Diagnóstico, a Conduta e a Prevenção da DPOC. Instituto Nacional do Coração, Pulmão e Sangue (NHLBI). Institutos Nacionais de Saúde. Departamento Norte-americano de Serviços Humanos e de Saúde Serviço Público de Saúde. Publicação do NHI No. 2701B.

2. Dourado VZ, Tanni SE, Vale SA, Faganello MM, Sanchez FF, Godoy I. Systemic manifestations in chronic obstructive pulmonary disease. J Bras Pneumol. 2006;32(2):161-71. http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132006000200012. PMid:17273586.

3. Velloso M, do Nascimento NH, Gazzotti MR, Jardim JR. Evaluation of effects of shoulder girdle training on sthength and performance of activities of daily living in patient with chronic obstructive pulmonary disease. Int J Chron Obstruct Pulmon Dis. 2013;8:187-92. PMid:23589685.

4. Souza LM, Gazzotti MR, Sampaio LMM. Relação entre estrutura e função muscular de membros superiores em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica [dissertação]. São Paulo: Universidade 9 de Julho; 2011.

5. Lorenzo VA, Silva AB, Sampaio LM, Jamarni M, Oishi J, Costa D. Efeitos do treinamento físico e muscular respiratório em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) grave submetidos a BIPAP. Rev Bras Fisioter. 2003;7(1):69- 76.

6. Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease [Internet]. GOLD; 2014 [citado em 2014 Jun 10]. Disponível em http://www.goldcopd.org/guidelines-global-strategy-fordiagnosis-management.html

7. Pereira CA, Sato T, Rodrigues SC. New reference values for forced spirometry in white adults in Brazil. J Bras Pneumol. 2007;33(2):397-406. http://dx.doi.org/10.1590/S1806- 37132007000400008. PMid:17982531.

8. Sant’anna T, Donária L, Furlanetto KC, Morakami F, Rodrigues A, Grosskreutz T, et al. Development, Validity and Reliability of the Londrina Activities of Daily Living Protocol, COPD. Respir Care. 2017;62(3):288-97. http://dx.doi.org/10.4187/ respcare.05058. PMid:28143964.

9. Britto RR, Probst VS, de Andrade AF, Samora GA, Hernandes NA, Marinho PE, et al. Reference equations for the sixminute walk distance based on a Brazilian multicenter study. Braz J Phys Ther. 2013;17(3):556-63. http://dx.doi. org/10.1590/S1413-35552012005000122. PMid:24271092.

10. Zhan S, Cerny FJ, Gibbons WJ, Mador MJ, Wu YW. Development of an unsupported arm exercise test in patients with chronic obstructive pulmonary disease. J Cardiopulm Rehabil. 2006;26(3):188-90. http://dx.doi.org/10.1097/00008483- 200605000-00013. PMid:16738459.

11. Paes TR. Londrina ADL protocol (LAP): reprodutibilidade, validade e valores de referência em adultos fisicamente independentes com 50 anos ou mais [dissertação de mestrado]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina; 2016. 68 p.

12. Corrêa KS, Karloh M, Martins LQ, Santos K, Mayer AF. Can the Glittre ADL test differentiate the functional capacity of COPD patients from that of healthy subjects? Rev Bras Fisioter. 2011;15(6):467-73. http://dx.doi.org/10.1590/ S1413-35552011005000034. PMid:22094546.

13. Leidy NK. Functional status and the forward progress of merry-gorounds: toward a coherent analytical framework. Nurs Res. 1994;43(4):196-202. http://dx.doi. org/10.1097/00006199-199407000-00002. PMid:8047422.

14. Takeda K, Kawasaki Y, Yoshida K, Nishida Y, Harada T, Yamaguchi K, et al. The 6-minute pegboard and ring test is correlated with upper extremity activity of daily living in chronic obstructive pulmonary disease. Int J Chron Obstruct Pulmon Dis. 2013;8(2):347-51. http://dx.doi.org/10.2147/ COPD.S45081. PMid:23901268.


Submetido em:
01/10/2020

Aceito em:
05/07/2021

610be7b9a953957b41372805 assobrafir Articles
Links & Downloads

ASSOBRAFIR Ciência

Share this page
Page Sections