ASSOBRAFIR Ciência
https://assobrafirciencia.org/article/doi/10.47066/2177-9333.AC.2020.0021
ASSOBRAFIR Ciência
Artigo Científico Original

Desfechos clínicos de pacientes submetidos à ventilação mecânica invasiva em uma UTI neurocirúrgica

Anna Carolina Macedo Sousa, Lilian Cristina Ascencio Sanchez, Lucas Lima Ferreira

Downloads: 1
Views: 185

Resumo

Introdução: Pacientes com doenças neurológicas internados em unidade de terapia intensiva (UTI) sob ventilação mecânica (VM) apresentam maior chance de complicações respiratórias. Objetivo: Comparar os desfechos clínicos de pacientes submetidos à VM em uma UTI neurocirúrgica. Métodos: Estudo retrospectivo, realizado na UTI neurocirúrgica de um hospital escola. Foram coletados: idade, sexo, doença que o levou a internação, presença de comorbidades, valor do Simplified acute physiology score (SAPS III), tempo de permanência em VM, sucesso ou falha da extubação, tempo de permanência na UTI e desfechos na unidade como alta ou óbito. Os pacientes foram divididos em grupo sucesso (GS) e grupo falha (GF) do desmame. Resultados: Foram incluídos 158 pacientes, 75% no GS e 25% no GF, com predomínio do sexo masculino em ambos os grupos. O diagnóstico mais prevalente foi o traumatismo cranioencefálico no GS e a ressecção de tumor cerebral no GF. O GF apresentou escore SAPS III (68,8±14,6 versus 54,3±17,4 p=0,003) e permaneceu mediana de tempo significativamente maiores em internação na UTI (12,5 [5–35] versus 9 [2–49] dias p=0,002) e em VM (3,5 [1–14] versus 2 [1–12] dias p=0,05) que o GS. O GS apresentou como desfecho alta da UTI significativamente maior (90% versus 67,5% p=0,001) que o GF. Conclusão: Os pacientes que falharam no desmame ventilatório apresentam maior índice preditivo para mortalidade na UTI, maior tempo de VM e internação, menor taxa de alta e maior taxa de óbitos na comparação com os pacientes que evoluíram com sucesso no desmame ventilatório.

Palavras-chave

Respiração Artificial; Unidade de Terapia Intensiva; Desmame do Respirador; Fisioterapia.

Referências

1. Alves LCB, Thommen LP, Gomes CM, Oliveira VRC. Conhecimento de acadêmicos da saúde sobre a atuação do fisioterapeuta em unidades de terapia intensiva. Rev Bras Mil Cien. 2019;5(13):34-9. http://dx.doi.org/10.36414/rbmc. v5i13.17.

2. Dornelles C, Oliveira GBD, Schwonke CRG, Silva JRDS. Experiências de doentes críticos com a ventilação mecânica invasiva. Esc Anna Nery. 2012;16(4):796-801. http://dx.doi. org/10.1590/S1414-81452012000400022.

3. Santos CD, Nascimento ERPD, Hermida PMV, Silva TG, Galetto SGDS, Silva NJCD, et al. Boas práticas de enfermagem a pacientes em ventilação mecânica invasiva na emergência hospitalar. Esc Anna Nery. 2020;24(2):1-7. http://dx.doi. org/10.1590/2177-9465-ean-2019-0300.

4. da Cruz J, Martins M. Pneumonia associada à ventilação mecânica invasiva: cuidados de enfermagem. Rev Enf Referen. 2019;4(20):87-96. http://dx.doi.org/10.12707/ RIV18035.

5. Pinheiro RA, Christofoletti G. Fisioterapia motora em pacientes internados na unidade de terapia intensiva: uma revisão sistemática. Rev Bras Ter Intensiva. 2012;24(2):188- 96. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2012000200016. PMid:23917769.

6. Kutchak FM, Debesaitys AM, Rieder MM, Meneguzzi C, Skueresky AS, Forgiarini Junior LA, et al. Reflex cough PEF as a predictor of successful extubation in neurological patients. J Bras Pneumol. 2015 Jul-Ago;41(4):358-64. http://dx.doi. org/10.1590/S1806-37132015000004453. PMid:26398756.

7. Oliveira FIL, Souza KZFN, Roberto SBA, Alencar CH, Ferreira FA. Fatores que contribuem para o insucesso do desmame ventilatório no paciente grave. Rev Fama Cien Saúde. 2015;1(1):13-9.

8. Goldwasser R, Farias A, Freitas EE, Saddy F, Amado V, Okamoto V. III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica: Desmame e interrupção da ventilação mecânica. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. J Bras Pneumol. 2007;33(2):128-36.

9. Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Diretrizes Brasileiras de Ventilação Mecânica. São Paulo: Associação de Medicina Intensiva Brasileira; 2013.

10. Muzaffar SN, Gurjar M, Baronia AK, Azim A, Mishra P, Poddar B, et al. Predictors and pattern of weaning and long-term outcome of patients with prolonged mechanical ventilation at an acute intensive care unit in North Índia. Rev Bras Ter Intensiva. 2017;29(1):23-33. http://dx.doi.org/10.5935/0103- 507X.20170005. PMid:28444069.

11. Loss SH, de Oliveira RP, Maccari JG, Savi A, Boniatti MM, Hetzel MP, et al. The reality of patients requiring prolonged mechanical ventilation: a multicenter study. Rev Bras Ter Intensiva. 2015;27(1):26-35. http://dx.doi.org/10.5935/0103- 507X.20150006. PMid:25909310.

12. Sun Y, Li S, Wang S, Li C, Li G, Xu J, et al. Predictors of 1-year mortality in patients on prolonged mechanical ventilation after surgery in intensive care unit: a multicenter, retrospective cohort study. BMC Anesthesiol. 2020;20(1):44. http://dx.doi. org/10.1186/s12871-020-0942-0. PMid:32085744.

13. Jesus FS, Paim DM, Brito JO, Barros IA, Nogueira TB, Martinez BP, et al. Declínio da mobilidade dos pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Rev Bras Ter Intensiva. 2016;28(2):114-9. PMid:27410406.

14. Marinho RI, Silva RAD, Farias CAC, Silva JDS, Macêdo LCB, Scön CF, et al. Desmame da ventilação mecânica de pacientes críticos adultos: revisão sobre a utilização de protocolos. Cad Educ Saúde Fisioter. 2018;5(10):53-63.

15. Gutiérrez EP, Díaz JSS, Hernandez RF, Rodriguez EAM, Peniche KG, Gutiérrez SPD,  et  al. Los predictores en el retiro de la ventilación mecánica resultan suficientes para el paciente neurocrítico? Med Int México. 2017;33(5):675-91.

16. Balaji B, Rao AB, Kumar VS. Sammaiah. Performance of simplified acute physiology score 3 admission score as a predictor of ICU mortality in a tertiary care hospital of rural Telangana, India. Int J Adv Med. 2017;3(3):716-20.

17. Moralez GM, Rabello LSCF, Lisboa TC, Lima MFA, Hatum RM, De Marco FVC, et al. External validation of SAPS 3 and MPM0-III scores in 48,816 patients from 72 Brazilian ICUs. Ann Intensive Care. 2017;7(1):53. http://dx.doi.org/10.1186/ s13613-017-0276-3. PMid:28523584.

18. Lucena MVF, Veloso MAOS, Santos-Xavier VR, Ferreira IB, Moraes FC, Lucena RA, Lucena LA, Markman-Filho B, Lima SG. Mortality prognostic factors associated with SAPS 3 and APACHE II in elderly patients admitted in intensive care unit. Medicina (Ribeirão Preto, Online). 2019;52(4):277-86. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2176- 7262.v52i4p277-285.

19. Stein FC, Barros RK, Feitosa FS, Toledo DO, Silva JM Jr, Ísola AM, et al. Fatores prognósticos em pacientes idosos admitidos em unidade de terapia intensiva. Rev Bras Ter Intensiva. 2009;21(3):255-61. http://dx.doi.org/10.1590/ S0103-507X2009000300004. PMid:25303546.

20. Asehnoune K, Seguin P, Lasocki S, Roquilly A, Delater A, Gros A,  et  al. Extubation success prediction in a multicentric cohort of patients with severe brain injury. Anesthesiol. 2017;127(2):338-46. http://dx.doi.org/10.1097/ ALN.0000000000001725. PMid:28640020.

21. Silva RM, Silvestre MO, Zocche TL, Sakae TM. Pneumonia associada à ventilação mecânica: fatores de risco. Rev Bras Clin Med. 2011;9(1):5-10.

22. Vieira AM, Parente EA, Oliveira LS, Queiroz AL, Bezerra ISAM, Rocha HAL. Características de óbitos dos pacientes internados em uma unidade de terapia intensiva de hospital terciário. J Health & Biol Sciences. 2018;7(1):26-31. http:// dx.doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v7i1.1999.p26-31.2019.

23. Rishi MA, Kashyap R, Wilson G, Schenck L, Hocker S. Association of extubation failure and functional outcomes in patients with acute neurologic illness. Neurocrit Care. 2016;24(2):217-25. http://dx.doi.org/10.1007/s12028-015- 0156-3. PMid:26215402.

24. Cheng AC, Cheng KC, Chen CM, Hsing SC, Sung MY. The outcome and predictors of failed extubation in intensive care patients – the elderly is an important predictor. Int J Gerontol. 2011;5(4):206-11. http://dx.doi.org/10.1016/j. ijge.2011.09.021.


Submetido em:
10/12/2020

Aceito em:
08/06/2021

60e4a021a9539554f16e0a72 assobrafir Articles
Links & Downloads

ASSOBRAFIR Ciência

Share this page
Page Sections