ASSOBRAFIR Ciência
https://assobrafirciencia.org/article/doi/10.47066/2177-9333.AC.2020.0002
ASSOBRAFIR Ciência
Artigo Científico Original

Impacto de dois protocolos de estimulação diafragmática elétrica transcutânea nos parâmetros ventilométricos de pacientes críticos

Carlos Alberto Cavalcante Gomes, Gerson Lopes de Souza Junior, Luiz Euclides Coelho de Souza Filho, Divaldo Martins de Souza, Rodrigo Santiago Barbosa Rocha, Valéria Marques Ferreira Normando

Downloads: 0
Views: 174

Resumo

Introdução: a Ventilação Mecânica é um dos principais fatores que desencadeiam a atrofia muscular diafragmática na Unidade de Terapia Intensiva, correlacionada ao aumento do tempo de internação hospitalar, morbidade e mortalidade. A Fisioterapia pode minimizar essas complicações, otimizando a função muscular diafragmática, utilizando a estimulação diafragmática elétrica transcutânea (EDET). Objetivo: verificar o efeito de dois protocolos de EDET em pacientes em ventilação mecânica sobre parâmetros ventilométricos. Método: ensaio clínico randomizado, longitudinal, prospectivo, quantitativo, realizado em uma Unidade de Terapia Intensiva. Quinze participantes de ambos os sexos foram distribuídos aleatoriamente em: Grupo Experimental I (GE-I; n=5; 64,80 ± 5,07 anos); Grupo Experimental II (GE-II; n=4; 68,50 ± 7,51 anos) e Grupo Controle (GC; n=6; 65,33 ± 7,15 anos). O protocolo terapêutico os condicionou às sessões de fisioterapia de rotina do hospital, porém para os GE-I e II foi acrescido protocolos da EDET em cinco sessões. A avaliação dos parâmetros ventilométricos foi direcionada pela ventilometria para acompanhamento do volume minuto (V’), volume corrente (VC) e frequência respiratória (FR) na avaliação inicial (T0) e final (T5) de cada atendimento no turno vespertino. Resultados: para a análise intergrupos apenas o VC apresentou significância estatística (p<0,01), sendo maior no GE-II. Na análise intragrupo utilizando-se como referência os T0 e T5, houve resposta significativa para o VC no GC (p=0,04), com piora após os dias de protocolo, e V’ no GE-II (p<0,01), com aumento significativo após as 10 sessões. Conclusão: a EDET foi capaz de aumentar parâmetros ventilométricos em pacientes em ventilação mecânica, o que pode indicar manutenção da função muscular após a realização do protocolo.

Palavras-chave

Respiração Artificial, Terapia por Estimulação Elétrica, Diafragma, Fisioterapia.

Referências

1.            Barbas CSV, Ísola AM, Farias AMC, Cavalcanti AB, Gama AMC, Duarte ACM, et al. Recomendações brasileiras de ventilação mecânica 2013. Parte I. Rev Bras Ter Intensiva. 2014;26(2):89-121. http://dx.doi.org/10.5935/0103-507X.20140017. PMid:25028944.

2.            Shimizu JM, Manzano RM, Quitério RJ, Alegria VTC, Junqueira TT, El-Fakhouri S, et al. Fatores determinantes da mortalidade em ventilação mecânica e os efeitos de dois protocolos de desmame respiratório. MTP&RehabJournal. 2014;12:377-94.

3.            Meireles FMS, Barbosa IO, Viana MCC, Kuehner CP. Caracterização de parâmetros e estratégias do desmame difícil da ventilação mecânica adotados por fisioterapeutas. Rev Bras Promoç Saúde. 2013;26(1):51-5. http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2013.p51.

4.            Mendez-Tellez PA, Needham DM. Early physical rehabilitation in the ICU and ventilator liberation. Respir Care. 2012;57(10):1663-9. http://dx.doi.org/10.4187/respcare.01931. PMid:23013903.

<bok>5.               Dall'Acqua AN. Estimulação elétrica neuromuscular preserva morfologia da musculatura abdominal e peitoral de pacientes críticos em ventilação mecânica [dissertação]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2015.</bok>

6.            Queiroz AGC, Silva DD, Lira RAC, Bassini SRF, Uematsu ESC. Treino muscular respiratório associado à eletroestimulação diafragmática em hemiparéticos. Rev Neurociênc. 2014;22(2):294-9. http://dx.doi.org/10.34024/rnc.2014.v22.8101.

7.            Martinelli B, Santos IP, Barrile SR, Iwamoto HCT, Gimenes C, Rosa DMC. Estimulação elétrica transcutânea diafragmática pela corrente russa em portadores de DPOC. Fisioter Pesqui. 2016;23(4):345-51. http://dx.doi.org/10.1590/1809-2950/14854823042016.

8.            Cancelliero KM, Ike D, Sampaio LMM, Santos VLA, Stirbulov R, Costa D. Estimulação diafragmática elétrica transcutânea (EDET) para fortalecimento muscular respiratório: estudo clínico controlado e randomizado. Fisioter Pesqui. 2012;19(4):303-8. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-29502012000400002.

9.            Vasconcelos TB, Costa RB, Josino JB, Magalhães CBA, Maia NPS, Bastos VPD. Análise da função pulmonar em indivíduos com lesão do plexo braquial. Rev Neurociênc. 2015;23(4):486-92. http://dx.doi.org/10.4181/RNC.2015.23.04.1110.07p.

10.          Geddes LA, Voorhees WD, Bourland JD, Riscili CE. Optimum stimulus frequency for contracting the inspiratory muscle with chest-surface electrodes to produce artificial respiration. Ann Biomed Eng. 1990;18(1):103-8. http://dx.doi.org/10.1007/BF02368420. PMid:2306029.

11.          Santos LA, Borgi JR, Daister JLN, Pazzianotto-Forti EM. Efeitos da estimulação diafragmática elétrica transcutânea na função pulmonar em idosos. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2013;16(3):495-502. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232013000300008.

12.          Forti EMP. Estimulação diafragmática elétrica transcutânea (EDET) em mulheres obesas mórbidas submetidas à derivação gástrica em Y de Roux (DGYR) com anel de contenção, por laparotomia [tese]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos; 2008.

13.          Forti EMP, Pachani GP, Montebelo MIL, Costa D. Eletroestimulação diafragmática transcutânea em indivíduos saudáveis. Rev Fisioter Bras. 2018;6(4):261-4. http://dx.doi.org/10.33233/fb.v6i4.2003.

14.          Santos LA, Silva CA, Polacow ML. Efeito do tratamento precoce com estimulação diafragmática elétrica transcutânea (EDET) na inflamação pulmonar provocada pela Bleomicina. Braz J Phys Ther. 2013;17(6):606-13. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552012005000130. PMid:24346295.

15.          Baltieri L, Santos LA, Pessotti E, Forti EMP. Estimulação diafragmática elétrica transcutânea na paralisia diafragmática após cirurgia cardíaca. Rev Bras Cardiol. 2012;25(6):504-6.

16.          Ferreira L, Mello J, Brito M, Cavenaghi O. Efetividade da estimulação diafragmática elétrica transcutânea na força muscular respiratória, volumes e capacidades pulmonares: revisão sistemática. Medicina. 2015;48(5):491-500.

17.          Borges F, Souza F, Oliveira J, Evangelista A. Parâmetros de modulação na eletroestimulação neuromuscular utilizando corrente russa. Rev Fisioter Ser. 2007;2(1):1-10.


Submetido em:
23/09/2019

Aceito em:
30/09/2020

5fd3cd820e8825981b120fe0 assobrafir Articles
Links & Downloads

ASSOBRAFIR Ciência

Share this page
Page Sections