ASSOBRAFIR Ciência
https://assobrafirciencia.org/article/5de036930e882557254ce1d5
ASSOBRAFIR Ciência
Artigo Original

Adaptador bocal: um velho conhecido e tão pouco explorado nas medidas de função pulmonar

Adaptor nozzle: an old acquaintance, and so little explored in lung function measure

Erikson Custódio Alcântara, Joana Darc Oliveira da Silva

Downloads: 1
Views: 574

Resumo

Introdução: Testes funcionais não invasivos têm sido desenvolvidos e utilizados para avaliação de função pulmonar, contribuindo para um melhor entendimento da fisiologia respiratória em indivíduos normais e auxiliando no diagnóstico funcional da função pulmonar precocemente, bem como na tomada de decisões terapêuticas. Nesse sentido, a ventilometria tem sido utilizada por ser um recurso de fácil acesso e interpretação e por fornecer informações importantes acerca da mecânica respiratória e sua utilização pode ser feita diretamente pelo bocal do aparelho ou por meio de um adaptador bocal descartável acoplado ao ventilômetro. Objetivo: avaliar medidas de função pulmonar e comparar os valores de volume corrente, volume minuto, frequência respiratória e capacidade vital lenta de mulheres saudáveis com e sem adaptador bocal. Métodos: Trata-se de um estudo transversal do qual participaram 50 mulheres saudáveis, com idade entre 18 e 30 anos. As voluntárias foram submetidas a duas avaliações de medidas de função pulmonar através do equipamento ventilômetro, sendo três mensurações sem o adaptador e três com o adaptador bocal. Para a análise estatística foram utilizadas as médias das três mensurações em cada avaliação e considerado nível de significância de 5%. Resultados: As mensurações dos volumes pulmonares e capacidade vital lenta apresentaram diferenças estatisticamente significativas com o adaptador bocal (p < 0,05), com diminuição dos volumes pulmonares e da capacidade vital lenta em mais de 73% das voluntárias estudadas. Conclusões: Os resultados demonstram que o adaptador bocal subestima os valores de função pulmonar em 73%, com significância estatística para todas as medidas de função pulmonar avaliadas. As mensurações da frequência respiratória, assim como da capacidade vital lenta sem o adaptador e com o adaptador bocal, apresentaram forte correlação linear.

Palavras-chave

Medidas de volume pulmonar; Capacidade vital; Saúde da mulher.

Abstract

Introduction: Noninvasive functional tests have been developed and used for assessment of pulmonary function, contributing to a better understanding of pulmonary physiology in normal subjects and aiding in the early functional diagnosis of lung function as well as in therapeutic decision making. In this sense, respirometry has been used because it is an accessible and easy interpretation resource that provides important information about the respiratory mechanics. Its use, however, can be made directly through the nozzle of the device or through a disposable mouthpiece adapter coupled with the spirometer. Objective: To evaluate lung function measurements and to compare the values of tidal volume, minute volume, respiratory rate and slow vital capacity in healthy women with and without an adapter nozzle. Methods: This is a cross sectional study in which 50 healthy women participated, aged between 18 and 30 years. The volunteers underwent two assessments of lung function measurements by the spirometer device, three measurements without the adapter and three with the nozzle adapter. For statistical analysis the average of three measurements at each assessment was used, and a significance level of 5% was considered. Results: The measurements of lung volumes and slow vital capacity showed statistically significant differences with the adapter nozzle (p < 0.05) with a reduction in lung volumes and slow vital capacity in more than 73% of the volunteers studied with the adapter nozzle. Conclusions: The results demonstrate that the adapter nozzle underestimates the values of pulmonary function in 73%, with statistical significance for all measures of lung function assessment.. The measurements of respiratory rate as well as the slow vital capacity without the adapter and with the adapter nozzle showed a strong linear correlation.

Keywords

Lung volume measurements; vital capacity; Adaptation; Women’s Health.

Referências

1. Parreira VF, Bueno CJ, França DC, Vieira DSR, Pereira DR, Britto RR. Padrão respiratório e movimento toracoabdominal em indivíduos saudáveis: influência da idade e do sexo. Rev Bras Fisioter. 2010 Set-Out;14(5):411-6.

2. Imhof BV, Juk, DB, Souza GC, Becker GFQ, Cruz LC, Bernardes M et al. Avaliação da capacidade vital pela ventilometria em crianças saudáveis do sexo masculino de 7 a 11 anos. Rev Bras Fisioter. 2006 Maio-Jun;7(3):168-71.

3. Barreto SSM. Volumes pulmonares. J Bras Pneumol. 2002 Out;28(Supl 3):83-94.

4. Logrado VS, Sena EM, Matos RJS, Silva TML, Oliveira TR, Mendes KMB, Avena KM. Impacto da utilização de reforço positivo na mensuração da CV por espirometria em voluntários saudáveis. J Bras Pneumol. 2010 Mar-Abr;36(2):205-9.

5. Terra Filho J. Avaliação laboratorial da função pulmonar. Medicina Ribeirão Preto. 1998 AbrJun;31:191-207.

6. Silva LCC, Rubin AS, Silva LMC, Fernandes JC. Espirometria na prática médica. Rev AMRIGS, Porto Alegre. 2005 Jul-Set;49(3):183-94.

7. Jatobá JPC, Amaro WF, Andrade APA, Cardoso FPF, Monteiro AMH, Oliveira MAM. Avaliação da função pulmonar, força muscular respiratória e teste de caminhada de seis minutos em pacientes portadores de doença renal crônica em hemodiálise. J Bras Nefrol. 2008 Out-Dez;30(4):280-7.

8. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Diretrizes para testes de função pulmonar. J Bras Pneumol. 2002;28(Supl 3):S1-S238.

9. Carvalho CRR, Júnior CT, Franca SA. III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica: ventilação mecânica: princípios, análise gráfica e modalidades ventilatórias. J Bras Pneumol. 2007;33(Supl 2):S54-70.

10. Pereira CA, Sato T, Rodrigues SC. New reference values for forced spirometry in white adults in Brazil. J Bras Pneumol. 2007 Jul-Ago;33(4):397-406.

11. Fregadolli P, Sasseron AB, Lanzoni KC, Figueiredo LC, Cardoso AL, Lima NMFV. Comparação entre o uso de bocal e máscara facial na avaliação de volumes pulmonares e capacidade vital em indivíduos saudáveis. Fisioter Pesq. 2010 Jan-Mar;17(1):30-3.

12. Fiori Jr JF, Paisani DM, Franceschini J, Chiavegato LD, Faresin SM. Pressões respiratórias máximas e capacidade vital: comparação entre avaliações através de bocal e máscara facial. J Bras Pneumol. 2004 Dez;30(6):515-20.

13. Pereira BJ. Anatomia funcional do pulmão. Rev Bras Anestesiol. 1996;46(3):152-63.

14. Beloto AB, Bertolini SMMG. Estudo da capacidade funcional ventilatória dos profissionais cabeleireiros da cidade de Maringá, Estado do Paraná no ano de 2005. Acta Scientiarum Health Sci. 2006 Jul-Dez;28(2):137-45.A

5de036930e882557254ce1d5 assobrafir Articles
Links & Downloads

ASSOBRAFIR Ciência

Share this page
Page Sections