ASSOBRAFIR Ciência
https://assobrafirciencia.org/article/5de009cd0e8825161b4ce1d5
ASSOBRAFIR Ciência
Artigo Original

Efeitos da tosse manualmente assistida sobre o comportamento da mecânica respiratória de pacientes intubados e ventilados artificialmente

Effects of manually assisted coughing on respiratory mechanics behavior in intubated and mechanically ventilated patients

Natália Matos Ribeiro, Thiago Brasileiro de Vasconcelos, Vasco Pinheiro Diógenes Bastos

Downloads: 0
Views: 208

Resumo

Objetivo: Verificar o comportamento da Tosse Manualmente Assistida (TMA) isolada ou associada à aspiração endotraqueal sobre a mecânica respiratória de pacientes intubados e ventilados artificialmente. Métodos: Foram estudados 12 pacientes intubados, sedados e submetidos à ventilação mecânica assisto-controlada, sem participação interativa com o ventilador. Os pacientes foram separados em três grupos, o primeiro submetido à TMA e à aspiração, o segundo apenas à TMA e o último à aspiração isolada. A mecânica do sistema respiratório foi mensurada antes e após a aplicação das técnicas. Resultados: Os dados evidenciaram a diminuição das pressões de pico e platô, e da resistência do sistema respiratório e o aumento das complacências e da saturação de oxigênio, após a aplicação da TMA associada à aspiração traqueal ou somente à aspiração. Quando utilizada somente a TMA, foram evidenciados resultados contrários. Conclusão: A TMA foi capaz de alterar a mecânica do sistema respiratório, através do deslocamento de secreção. O uso da aspiração associada tornou possível alcançar o objetivo principal da fisioterapia respiratória: a mobilização e remoção de secreção brônquica.

Palavras-chave

Modalidades de fisioterapia; UTI; Resultado do tratamento.

Abstract

Objective: To verify the behavior of Manually Assisted Coughing (mac) alone or associated with endotracheal suctioning on respiratory mechanics of intubated and mechanically ventilated patients. Methods: Twelve sedated mechanical ventilation dependent (without active participation) patients were assessed. They were divided into three groups: the first underwent MAC and aspiration, the second only to MAC and the last aspiration alone. The mechanics of the respiratory system was measured before and after application of the techniques. Results: The data showed a decrease in peak and plateau pressures and the resistance of the respiratory system, and an increase in pulmonary complacency and oxygen saturation after the application of MAC associated to aspiration or only aspiration technique. When we used only the MAC, contradictory results were evidenced. Conclusion: MAC was able to change the mechanics of the respiratory system by removing secretions. The use of aspiration associated becomes possible to achieve the main goal of physiotherapy: the mobilization and removal of bronchial secretions.

Keywords

Hysical therapy modalities; ICU; Treatment outcome.

Referências

1. Serafim SR. Fisioterapia Respiratória: Técnica de Escolha [monografia na Internet]. Tubarão, SC: Universidade do Sul de Santa Catarina; 2006 [citado 2009 Mar 15]. Disponível em: http://www.fisiotb.unisul.br/Tccs/06b/saionara/artigosaionara.pdf.

2. Rajendrasozhan S, Yang SR, Edirisinghe I, Yao H, Adenuga D, Rahman I. Deacetylases and NF-kappaB in redox regulation of cigarette smoke-induced lung inflammation: epigenetics in pathogenesis of COPD. Antioxid Redox Signal. 2008 Apr;10(4):799-811.

3. Park HS, Kim SR, Lee YC. Impact of oxidative stress on lung diseases. Respirology 2009 Jan;14(1):27- 38.

4. Vega MJ, Gastaldi AC, Avena KM. Recursos Fisioterapêuticos para a Remoção de Secreção Brônquica. In: Sarmento GJ, Vega JM, Lopes NS. Fisioterapia em UTI. São Paulo: Atheneu; 2006.

5. Lopes NS. Monitorização Respiratória. In: Sarmento GJ, Vega JM, Lopes NS. Fisioterapia em UTI. São Paulo: Atheneu; 2006.

6. Azeredo CAC. Fisioterapia Respiratória Moderna. 4. ed. São Paulo: Manole; 2002.

7. Presto B, Presto LDN. Fisioterapia respiratória: uma nova visão. 2. ed. Rio de Janeiro: BP; 2005.

8. Avena MJ, Carvalho WB, Beppo OS. Evaluation of oxygenation, ventilation and respiratory mechanics before and after endotracheal suction in mechanically ventilated children. Rev Assoc Med Bras. 2003 Apr-Jun;49(2):156-61. Portuguese.

9. Avena KM, Duarte ACM, Cravo SLD, Sologuren MJJ, Gastaldi AC. Effects of manually assisted coughing on respiratory mechanics in patients requiring full ventilatory support. J Bras Pneumol. 2008 Jun;34(6):380-6. Portuguese.

10. Zenaro CC. Fisioterapia respiratória. 2003 [citado 2009 Mar 15]. Disponível em: http://www2.prudente.unesp.br/dfisio/fisioresp/tratamento.htm.

11. Brasil. Resolução CNS n° 196, 10 de outubro de 1996. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília. 1996 out 16; 201(seção 1):210-82.

12. Luce JM, Pierson DJ, Tyler ML. Tratamento Respiratório Intensivo. Rio de Janeiro: Revinter; 1995.

13. Rosa FK, Roese CA, Savi A, Dias AS, Monteiro MB. Behavior of the lung mechanics after the application of protocol of chest physiotherapy and aspiration tracheal in patients with invasive mechanical ventilation. Rev Bras Ter Intensiva. 2007 Apr-Jun;19(2):170-5. Portuguese.

14. Santos MLM, Souza LA, Batiston AP, Palhares DB. Results of airway clearance techniques in respiratory mechanics of preterm neonates under mechanical ventilation. Rev Bras Ter Intensiva. 2009 Apr-Jun;21(2):183-9.

15. Abreu LC, Pereira VX, Valenti VE, Panzarin SA, Moura-Filho OF. A view of respiratory physiotherapy practice: absence of evidence is not evidence of absence. Arq Med ABC. 2007 Dec;32(Supl. 2):S76-8. Portuguese.

16. Martins ALP, Jamami M, Costa D. Study of the rheological properties of bronchial mucus among patients undergoing chest physiotherapy techniques. Rev Bras Fisioter. 2005 Jan-Apr;9(1):33-9. Portuguese.

17. Jerre Gl. Fisioterapia no Paciente sob Ventilação Mecânica. III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica. J Bras Pneumol. 2007;33(Supl 2):S142-50.

18. Machado MGR, Zin WA. Indicações da ventilação mecânica e modos ventilatórios. In: Darwich RN. Condutas e Rotinas em Terapia Intensiva. Rio de Janeiro: Revinter; 2002.

19. Furtado RD. Smoking and anesthetic implications. Rev Bras Anestesiol. 2002 Jun;52(3):354-67. Portuguese.

20. José A, Pasquero RC, Timbó SR, Carvalhaes SRF, Bien US, Dal Corso S. Effects of physiotherapy in the weaning from mechanical ventilation. Fisioter Mov. 2013 Apr-Jun;26(2):271-9. Portuguese.

21. Machado MGR. Bases da fisioterapia respiratória: terapia intensiva e reabilitação. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2008.

5de009cd0e8825161b4ce1d5 assobrafir Articles
Links & Downloads

ASSOBRAFIR Ciência

Share this page
Page Sections